Em Alta Fidelidade (2000), John Cusack interpreta Rob, dono de uma loja de discos praticamente falida. Além do péssimo tino para os negócios, Rob é azaradíssimo também no amor. Ele faz top 5 para tudo: cinco músicas pra fazer amor, cinco músicas pra morrer, cinco profissões que gostaria de ter. 
Além de tudo, ainda é uma enciclopédia ambulante da cultura pop, e esse é o grande barato do filme. Talvez o motivo certeiro para ele ter se tornado um filme cult, mesmo sendo uma comédia romântica. Passamos algumas horas na companhia de Bruce Springsteen, Bob Dylan, Lou Reed, Velvet Underground, Queen, Elvis Costello, Steve Wonder, Marvin Gaye, Aretha Franklin, Freddie Mercury, Burt Bacharach, esses são só alguns nomes. 
No início do filme, Laura (Iben Hjejle), namorada de Rob, está deixando o apartamento deles, mas ele ainda não sabe que é pra morar com outro. No meio de todas as suas listas, sempre seguindo à risca os cinco itens, ele decide fazer um top 5 de suas separações mais dolorosas. Nós conhecemos essas cinco mulheres, e ele busca entender o porquê de seus relacionamentos nunca durarem. 
No final das contas, cada uma das histórias vai desmistificar a personalidade de Rob, as razões do rapaz ser do jeito que é, seu trauma e sua eterna qualificação no hall dos trocados. Quem participa do filme e nunca passa despercebido é Jack Black, interpretando sempre o mesmo cara. O sem noção, com metade das nádegas aparecendo, falando absurdos atrás de absurdos. Grande figura que trabalha na loja de discos falida de Rob. 
Um ponto interessante do filme que, particularmente, nos agrada, é o fato de Rob conversar o tempo inteiro com o espectador. Ele nos conta, como se fossemos um de seus amigos que freqüentam a loja de discos, todo o seu pesar… Somos seus confidentes, e acreditamos que lhe respondemos com alta fidelidade.
Esse filme é pra assistir tomando uma cerveja bem gelada. Acredite que renderá ótimas discussões, muito cuidado para não ficar criando Top 5 de tudo depois de ver o filme, é quase impossível não resistir. Poderíamos destacar 500 milhares de músicas para representar esse filme, mas com o Jack black interpretando Let’s get it on numa cena impagável, é com ela mesmo que fechamos o post.

 
 I’ve been really tryin’, baby Tryin’ to hold back this feelin’ for so long  And if you feel like I feel, baby Then come on, oh come on Let’s get it on, oh baby  Let’s get it on Let’s love, baby  Let’s get it on Sugar, let’s get it on
Jack Black - Let’s get it on
Por Lívia Vasconcelos

Em Alta Fidelidade (2000), John Cusack interpreta Rob, dono de uma loja de discos praticamente falida. Além do péssimo tino para os negócios, Rob é azaradíssimo também no amor. Ele faz top 5 para tudo: cinco músicas pra fazer amor, cinco músicas pra morrer, cinco profissões que gostaria de ter.

Além de tudo, ainda é uma enciclopédia ambulante da cultura pop, e esse é o grande barato do filme. Talvez o motivo certeiro para ele ter se tornado um filme cult, mesmo sendo uma comédia romântica. Passamos algumas horas na companhia de Bruce Springsteen, Bob Dylan, Lou Reed, Velvet Underground, Queen, Elvis Costello, Steve Wonder, Marvin Gaye, Aretha Franklin, Freddie Mercury, Burt Bacharach, esses são só alguns nomes. 

No início do filme, Laura (Iben Hjejle), namorada de Rob, está deixando o apartamento deles, mas ele ainda não sabe que é pra morar com outro. No meio de todas as suas listas, sempre seguindo à risca os cinco itens, ele decide fazer um top 5 de suas separações mais dolorosas. Nós conhecemos essas cinco mulheres, e ele busca entender o porquê de seus relacionamentos nunca durarem.

No final das contas, cada uma das histórias vai desmistificar a personalidade de Rob, as razões do rapaz ser do jeito que é, seu trauma e sua eterna qualificação no hall dos trocados. Quem participa do filme e nunca passa despercebido é Jack Black, interpretando sempre o mesmo cara. O sem noção, com metade das nádegas aparecendo, falando absurdos atrás de absurdos. Grande figura que trabalha na loja de discos falida de Rob. 

Um ponto interessante do filme que, particularmente, nos agrada, é o fato de Rob conversar o tempo inteiro com o espectador. Ele nos conta, como se fossemos um de seus amigos que freqüentam a loja de discos, todo o seu pesar… Somos seus confidentes, e acreditamos que lhe respondemos com alta fidelidade.

Esse filme é pra assistir tomando uma cerveja bem gelada. Acredite que renderá ótimas discussões, muito cuidado para não ficar criando Top 5 de tudo depois de ver o filme, é quase impossível não resistir. Poderíamos destacar 500 milhares de músicas para representar esse filme, mas com o Jack black interpretando Let’s get it on numa cena impagável, é com ela mesmo que fechamos o post.

 I’ve been really tryin’, baby Tryin’ to hold back this feelin’ for so long  And if you feel like I feel, baby Then come on, oh come on Let’s get it on, oh baby  Let’s get it on Let’s love, baby  Let’s get it on Sugar, let’s get it on
Jack Black - Let’s get it on

Por Lívia Vasconcelos

05/23/11 at 3:17pm
2 notes | View comments
  1. maybecucacksgirl reblogged this from casadinhacultural
  2. slowly-go-insane reblogged this from casadinhacultural
  3. casadinhacultural posted this



imoveis para alugar